A União das Freguesias de Setúbal foi criada em 2013 no âmbito de uma reorganização administrativa[1] que levou à fusão das freguesias de Nossa Senhora da Anunciada, Santa Maria da Graça e São Julião, tendo passado a ter efeitos práticos no concelho após as eleições autárquicas de 29 de Setembro do mesmo ano.

Com uma área territorial de 36,76 km2 e mais de 38 mil habitantes[2], a União das Freguesias de Setúbal reúne as áreas do concelho há mais tempo habitadas. O Fórum Municipal Luísa Todi, a Casa da Baía, a Casa da Cultura, a Casa Bocage, a Igreja de Santa Maria, a Casa do Corpo Santo, o Parque Urbano da Albarquel e o Mercado do Livramento são alguns dos espaços de interesse cultural e turístico que podem ser encontrados na união das freguesias.

Santa Maria da Graça é a freguesia mais antiga de Setúbal, tendo sido criada em 1248, ano em que foi constituída a primeira paróquia da cidade. Com a junção das freguesias de Nossa Senhora da Anunciada e São Julião, a União das Freguesias de Setúbal reúne atualmente grande parte do centro histórico de Setúbal, onde é possível encontrar vestígios arqueológicos ligados à salga de peixe, datados da época pré-romana e romana.

Entre os séculos XIV e XVI, a crescente importância da cidade motivou construções que atualmente marcam a identidade de Setúbal, sendo de destacar a Torre do Outão, edificada em 1390 para proteção do porto, os conventos de São Francisco, de 1410, e de Jesus, de 1490, e o Forte de São Filipe construído em 1582.

Setúbal foi sendo repovoada progressivamente no decorrer do século XIII, época marcada pelo estabelecimento da Ordem de Santiago nas vizinhas povoações de Alcácer do Sal e Palmela. Durante este período observou-se a crescente repovoação pela zona baixa que se estende até Troino, contribuindo para o desenvolvimento de atividades ligadas à exploração e comércio de sal e à pesca.

É entre os séculos XIX e XX que se regista o desenvolvimento da indústria conserveira, que contribuiu para uma maior empregabilidade entre a população setubalense através do crescimento do número de fábricas de conserva de peixe.

Ao longo de centenas de anos e até cerca de 1960, a zona urbana terminava onde hoje se situa o Estádio do Bonfim, dando início a partir daí à área rural de Setúbal. Com o desenvolvimento urbanístico a partir dessa década, os bairros do Liceu, Vanicelos, Montalvão, Amoreiras e Ferro de Engomar assistiram ao crescimento da sua área habitacional.

 

Atualmente, a União das Freguesias de Setúbal é uma das cinco subdivisões administrativas do concelho de Setúbal, que conta também com a Freguesia de Azeitão, a Freguesia do Sado, de Freguesia de São Sebastião e a Freguesia de Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra.

[1] Em resultado da Lei nº 56/2012, de 8 de novembro, e da Lei nº 11-A/2013, de 28 de janeiro, o concelho de Setúbal foi alvo de uma reorganização administrativa, passando a ser constituído por cinco freguesias.

[2] Dados do Instituto Nacional de Estatística – Censos 2011

Ir para Início